Igualdade de Género na UE28: Portugal entre os países com maior gap entre mulheres e homens

Publicado em Atualizado em

GII_Map

Consultar mapa aqui

O Índice de Igualdade de Género é um indicador compósito que mede as disparidades de género dentro do espaço europeu num conjunto de dimensões (trabalho, dinheiro, conhecimento, tempo, poder e saúde). Segundo o European Institute for Gender Equality este índice procura medir a «igualdade na partilha de bens e a igual dignidade e integridade entre homens e mulheres» numa perspetiva diacrónica e em todos os estados membros da União Europeia.

Em 2012, a Roménia (33,7), a Eslováquia (36,5) e Portugal (37,9) tiveram a pontuação no índice de igualdade de género que mais se afastava da média europeia (EU-28: 52,9). Por sua vez, destacam-se dos restantes, os Países Baixos (68,5), a Dinamarca (70,9), a Finlândia (72,7) e a Suécia (74,2), pelos seus elevados níveis de igualdade de género (Figura 1).

GII_FIGURE1

A figura 2 retrata a evolução do Índice de Igualdade de Género entre 2005 e 2012, em Portugal e na UE28. Em Portugal, apesar da recuperação assinalada em 2010 (subida no índice de 2,7 pontos, por comparação aos 1,1 da UE28), voltou a atrasar-se em relação à Europa em 2012, ao ver diminuir o seu nível de igualdade em 2,2 pontos (na UE28, a igualdade aumentou 0,5 p.).

GII_FIGURE2

Na Figura 3 apresenta-se as diferentes dimensões que compõem o Índice e a sua distribuição ao longo de 2005-2012, em Portugal e na UE28.

Nos três anos em análise, quer na UE28, como em Portugal, a dimensão onde existia maior igualdade de género era na “Saúde” (condições e acesso a estruturas de saúde): em 2012, a UE28 registava 90 e Portugal 83,3 pontos neste índice.

Em 2012, era na dimensão do “Poder” (político e económico) onde Portugal mais se distanciava da UE28 (cerca de 22 pontos) e onde sentiu a maior perda em relação ao valor assinalado em 2010 (-12,1 pontos). Isto significa que existem mais disparidades entre homens e mulheres no que respeita à representação em cargos de decisão de natureza política e económica no país. Na UE28, pelo contrário, entre 2010 e 2012, esta foi a dimensão onde se registou a maior subida ao nível de igualdade (mais 1,8 pontos).

Registe-se a subida neste último ano para Portugal, na dimensão do conhecimento, de 30,4 para 37,8 (+ 7,4 pontos do que em 2010), quedando-se ainda aquém da média europeia (48,1). No que à dimensão do “Trabalho” (participação, segregação e qualidade do trabalho) diz respeito, o nível de igualdade diminuiu na União Europeia 0,3 e em Portugal 1,1 pontos.

Por fim, note-se que nos três anos, quer na UE28, como em Portugal, a dimensão onde houve a maior diminuição ao nível da igualdade de género foi no “Tempo” (atividades de cuidados a terceiros e atividades sociais, como voluntariado): entre 2005 e 2012, a UE28 diminuiu cerca de 4 pontos e Portugal 17 pontos nesta dimensão. Estes resultados revelam que a quantidade de tempo que as mulheres e os homens na UE-28 e em Portugal despendem com outras atividades além do trabalho remunerado, difere significativamente segundo o sexo. Nomeadamente, no que diz respeito ao cuidado a terceiros, onde continuam a ser as mulheres a realizar a maior parte dessas atividades (tempo dedicado aos filhos, netos, bem como ao tempo gasto em tarefas domésticas).

GII_FIGURE3

 

 

Por: Ana Rita Matias